top of page

Otorrinolaringologista Dra. Natália Couto faz alerta sobre os riscos do uso do VAPERS



Eles têm sido sensação entre os jovens. Com odor, sabor e aparência mais inofensiva, o cigarro eletrônico ou vapers como são chamados, tem sido ponto de preocupação entre os profissionais da saúde.


Segundo a médica otorrinolaringologista, Dra. Natália Couto, o cigarro eletrônico pode provocar consequências tão nocivas quanto os provocados pelo tabagismo, e talvez ainda mais rápido que o cigarro. “_Por ter um sabor e aroma mais agradável, ele acaba atraindo mais pessoas e o uso desmedido. Para quem acha que essas sequelas só acontecem ao longo de muitos anos, a verdade não é essa_” afirmou.


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) inclusive proíbe a comercialização do cigarro eletrônico, devido ao fato de substâncias liberadas no dispositivo estarem associadas ao desenvolvimento de doenças respiratórias “_O que estamos vendo nos consultórios são jovens chegando cada vez mais rápido com sintomas de sinusite, faringite e em alguns casos, irritabilidade nas cordas vocais, deixando a pessoa afônica_” destacou a médica.


*Composição de um Vaper*


Eles trazem, em sua composição, substâncias como nicotina, propilenoglicol e glicerol, ambos irritantes crônicos; acetona, etilenoglicol, formaldeído, entre outros produtos cancerígenas e metais pesados (níquel, chumbo, cádmio, ferro, sódio e alumínio). Para atrair consumidores, são incluídos aditivos e aromatizantes como tabaco, mentol, chocolate, café e álcool


*O Ministério da Saúde recomenda 10 passos para parar de fumar*

1. Tenha determinação

2. Marque um dia para parar

3. Corte gatilhos do fumo

4. Escolha um método: abrupto ou gradual

5. Encontre substitutos saudáveis

6. Livre-se das lembranças do cigarro

7. Encontre apoio de amigos e familiares

8. Escolha a melhor alimentação

9. Procure apoio médico

10. Troque experiências em um grupo de apoio

134 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page