Camilo defende rigor em relação na fiscalização de estabelecimentos: “Ainda estamos numa pandemia"



O governador, junto ao secretário de saúde do Ceará Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, comentou sobre o aumento de positividade dos testes da Covid-19


O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou na manhã desta segunda-feira, em live, que o Estado deverá ser mais rigoroso com estabelecimentos em relação às medidas sanitárias do novo coronavírus. A live realizada pretendia anunciar a aquisição de novos equipamentos de saúde da rede estadual.

O governador, junto ao secretário de saúde do Ceará Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto, comentou sobre o aumento de positividade dos testes da Covid-19. "Nós estamos falando de salvar vidas, proteger as pessoas e proteger a economia. Porque se houver necessidade de o Estado precisar tomar decisões mais duras, nós vamos tomar", falou o governador. 

Na tarde desta segunda, 7, o Ceará tinha 304.714 casos registrados da doença e 9,704 óbitos confirmados, de acordo com a plataforma IntegraSUS. 

“Infelizmente, tenho visto a algumas cenas e vamos inclusive, a partir de agora, ser mais rigorosos com estes estabelecimentos que estão descumprindo as regras sanitárias. Estamos acompanhando que no mundo inteiro estão aumentado o número de caso, no Brasil e no Ceará também. É fundamental que as pessoas respeitem as orientações, mas que também fiscalizem e denunciem, porque estamos falando de proteger as pessoas e a economia”, disse Camilo.

O governador voltou a recomendar o uso de máscaras e o respeito aos protocolos da Secretaria de Saúde e anunciou que o Estado adquiriu mais de R$ 20 milhões de equipamentos para as cinco macrorregiões. 

Vacina no Ceará

O governador ressaltou que o Estado está trabalhando para “trazer essa vacina o mais rápido possível para o Ceará". Entretanto, ainda não há confirmação de nenhuma vacina aprovada pela Anvisa no Brasil. 

No Reino Unido, a vacinação começa nesta terça-feira, 8. O país irá usar a vacina da estadunidense Pfizer e alemã BioNTech, que teve resultados de 95% de eficácia. Entretanto, segundo plano de vacinação do Governo Federal, a vacina não está nos requisitos do País.

Fonte: FrissonNews

76 visualizações0 comentário